O Antagonista publicou em primeira mão a íntegra da PEC apresentada por Romero Jucá, o paladino da Injustiça ― que proíbe a investigação de presidentes e vices dos três Poderes por fatos anteriores ao mandato ―, e lista dos senadores que apoiaram a proposta. Pois bem, começaram as defecções:

O senador Otto Alencar retirou a assinatura;

Aloysio Nunes procurou o site para dizer que assinou para que a PEC tramite, mas disse que votará contra a proposta;

O PSDB divulgou nota afirmando que:

1º - Não existe qualquer compromisso da bancada do PSDB com a aprovação da proposta em questão;

2º - O assunto jamais foi objeto de discussão entre os senadores integrantes da bancada do PSDB;

3º - O fato de parlamentares do partido subscreverem a proposição não os compromete a defender a mesma, apenas deve ser compreendido como resultado de atendimento a pedido do autor para que o assunto venha a ser debatido oportunamente. Fato que, aliás, é usual em todos os parlamentos de países onde prevaleça a democracia.

A nota do PSDB é assinada pelo senador Paulo Bauer.

Ficamos mais tranquilos assim, excelências.

Observação: Horas depois, às 22 e lá vai fumaça da noite de ontem, “Caju” informou que solicitou a retirada da tramitação da PEC da Vergonha ― atendendo a um pedido do presidente do Senado, Estrupício Oliveira.