Deu no Estadão de ontem (e o link está aqui para quem quiser conferir) que a ministra dos Direitos Humanos apresentou ao governo um pedido para acumular seu salário com o de desembargadora aposentada. Se deferido o pedido, Luislinda Valois ― esse é o nome da criatura ― passaria a receber o valor mensal (bruto) de R$ 61,4 mil.

Em 207 páginas, ela reclama que, por causa do teto constitucional, só pode ficar com R$ 33,7 mil do total das rendas, o que, segundo ela, “sem sombra de dúvidas se assemelha ao trabalho escravo, o que também é rejeitado, peremptoriamente, pela legislação brasileira desde os idos de 1888 com a Lei da Abolição da Escravatura”.

Se isto aqui fosse um país sério, e não a Banânia que é, esse projeto de sacripanta seria exonerada num piscar de olhos. Numa situação como a que país atravessa, o que ela fez foi além de cuspir na cara do povo. Foi cagar em cima!

Continue lendo em http://fernandomelis.blogspot.com.br/2017/11/ministra-dos-direitos-humanos-compara.html