O patrimônio do ex-presidente Lula aumentou 360%, em valores nominais, depois do fim de seu segundo mandato, em 2010. As informações, segundo a edição da última sexta-feira do jornal Folha de S. Paulo, foram prestadas pelo petista nas declarações de Imposto de Renda que integram a denúncia apresentada contra ele na última quarta-feira, no âmbito da Operação Lava-Jato.

De acordo com o documento, o patrimônio do petralha, que era de R$ 1,9 milhão em 31 de dezembro de 2010, saltou para aproximadamente R$ 8,8 milhões em 2015 ― ou seja, um aumento de quase R$ 7 milhões. A evolução teve lastro em renda obtida com a L.I.L.S., empresa de palestras de Lula, criada depois que ele encerrou seus dois mandatos na Presidência.

Aos investigadores, o molusco disse que cobrava “exatamente US$ 200.000, nem mais e nem menos” por todas as palestras. O preço era o mesmo que o cobrado pelo ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton.

Entre 2011 e 2015, a L.I.L.S. distribuiu lucros e dividendos de R$ 8,5 milhões para Lula, que, nesse mesmo período, proferiu cerca de setenta palestras no Brasil e no exterior, conforme ele mesmo disse às autoridades da PF. De acordo com os investigadores, a empresa de palestras de Lula recebeu R$ 21 milhões entre 2011 e 2015, e desse total, R$ 9,9 milhões foram pagos por empreiteiras investigadas na Lava Jato.

À Folha, Cristiano Zanin Martins, advogado do petralha, afirmou que as atividades da L.I.L.S. são “absolutamente lícitas, lastreadas em palestras devidamente documentadas e de conhecimento geral”. Então tá.